Ir direto para menu de acessibilidade.

GTranslate - Tradução do site

ptenfrdeitesth

Opções de acessibilidade

Você está aqui: Página inicial > Aluno > IFG > Últimas notícias > Câmpus Goiânia Oeste se mobiliza para desenvolver ações de enfrentamento ao coronavírus
Início do conteúdo da página
Ações institucionais

Câmpus Goiânia Oeste se mobiliza para desenvolver ações de enfrentamento ao coronavírus

São várias ações e a primeira preocupação foi com estudantes em situação de vulnerabilidade social

imagem sem descrição.

 “Nossa primeira preocupação, quando iniciou o processo de isolamento social, foi com os estudantes em situação de vulnerabilidade social”. Com essa preocupação e outros desafios, conforme relato do diretor-geral Cleberson Pereira Arruda, a comunidade acadêmica do Câmpus Goiânia Oeste do Instituto Federal de Goiás (IFG) se mobiliza, desde o início da pandemia, com o propósito de contribuir para o enfrentamento ao coronavírus e à Covid-19. A mobilização resulta no desenvolvimento de ações em várias áreas e vão desde a arrecadação de recursos e a doação de alimentos, passando por ações de escuta e acolhimento de alunos, reuniões e rodas de conversa com estudantes, pais e responsáveis, até a produção de álcool 70% glicerinado que deverá começar ainda neste mês.

Em abril, a Direção-Geral realizou ação com servidores e terceirizados, para manter o diálogo. “Fizemos uma ação de sensibilização com os servidores docentes, técnicos e terceirizados, fazendo um chamamento para que, mesmo no momento de isolamento, que a gente mantenha o contato e, caso estiverem precisando de alguma coisa, que entrem em contato. Estamos abertos também para sugestões, sempre muito importantes”, destaca o diretor-geral, Cleberson Arruda.

Famílias de estudantes em vulnerabilidade social estão sendo assistidas por um dos projetos e, a seguir, é possível conferir as ações em desenvolvimento, até o momento.

 

Campanha Solidária: Uma Escuta Necessária – Em face dos desafios globais inerentes a pandemia, sabe-se que, um deles, é garantir alimentação aos mais vulneráveis. Nessa perspectiva, vários setores do câmpus se uniram em uma ação que foi realizada em abril, por meio de sensibilização dos servidores e com a arrecadação de recursos financeiros para aquisição de cestas de alimentos padronizadas para serem doadas às famílias dos estudantes em situação de vulnerabilidade social.

“Nossa primeira preocupação quando iniciou o processo de isolamento social foi com os estudantes em situação de vulnerabilidade social e, imediatamente, solicitamos da Gepex o levantamento, pois a equipe da Coordenação de Assistência Estudantil possui acesso ao sistema que apresentam os dados e os índices de vulnerabilidade. Fiz contato com os estudantes, por telefone e por WhatsApp, e consegui falar com a maioria dos estudantes listados nessa condição. A partir daí, iniciamos a campanha e foi muito bem acolhida pelos servidores do Câmpus”, ressalta o diretor-geral Cleberson Arruda. 

 

Com os recursos obtidos foram adquiridas cestas padronizadas
Com os recursos obtidos foram adquiridas cestas padronizadas


Com a colaboração de docentes, técnicos-administrativos e pessoas da comunidade externa, a campanha arrecadou o montante que possibilitou a aquisição de 40 cestas com 18 itens, que incluem: arroz, açúcar, feijão, óleo de soja, biscoito, farinha de mandioca, sal refinado, café, extrato de tomate, achocolatado em pó, macarrão, sabão em barra glicerinado e sabonetes.

Também foram doadas outras 7 cestas de alimentos por parte de servidores que já dispunham das cestas para doação e que ficaram sensibilizados com a campanha. Até o momento, 33 famílias de estudantes já foram atendidas, e o Câmpus Goiânia Oeste está realizando um mapeamento, para que a campanha atenda, efetivamente, os mais vulneráveis neste cenário atual.

O mapeamento está sendo realizado pela coordenação de Assistência Estudantil, coordenações de Cursos e pela direção-Geral do câmpus. Nesta semana serão distribuídas as outras 7 cestas padronizadas para estudantes com famílias em situação de vulnerabilidade social. De acordo com o diretor-geral, a campanha será contínua: “sabemos que há algumas famílias que demandam bastante de alimentos nesse momento de pandemia e de desemprego”.

 

Rodas de Conversa – Para dialogar sobre o momento de pandemia, os impactos do isolamento social nas famílias e na vida da comunidade acadêmica, além de divulgar as ações que estão sendo desenvolvidas pelo Câmpus Goiânia Oeste e pelas demais unidades do IFG, estão sendo realizadas rodas de conversas virtuais com gestores, estudantes e pais ou responsáveis.

O primeiro encontro foi realizado no último dia 23 de abril e contou com a participação e interação de estudantes dos cursos de Licenciatura em Pedagogia e do Técnico em Enfermagem. No dia seguinte foi realizada a roda de conversa com estudantes dos cursos técnicos integrados em Vigilância em Saúde, Nutrição e Dietética e Análises Clínicas, bem como com os pais ou responsáveis.

As rodas de conversa são momentos importantes, uma vez que nesses encontros, gestores, docentes, estudantes e servidores técnicos do Departamento de Áreas Acadêmicas podem trocar ideias, tirar dúvidas e manterem-se próximos, mesmo que virtualmente. Na segunda quinzena do mês de maio, outras rodas de conversa serão promovidas objetivando a ampliação dos diálogos entre a comunidade acadêmica do câmpus.

“As rodas de conversas e as reuniões com representações estudantis são ações que tem um objetivo maior, que é o de manter esse contato com os nossos estudantes, no sentido de dizer que a gestão está aqui e que quer ouvi-los. Para além desse objetivo geral, também dizer das nossas demandas e desafios, não só nesse momento de pandemia”, ressalta o professor Cleberson Arruda, diretor-geral.

 

Reuniões com representações estudantis – A importância do diálogo contínuo com as representações estudantis do câmpus, fez com que a direção-geral realizasse, em abril, duas reuniões com o Centro Acadêmico Walkíria Afonso Costa e com o Grêmio Estudantil Novo Oeste. Na primeira reunião, no último dia 17 de abril, foram pautados: a análise do cenário atual da pandemia; as ações do IFG, do Conselho Superior (Consup), do Colégio de Dirigentes (Codir) e da equipe gestora ampliada do câmpus. Além destas ações, foram apresentadas as propostas e ações do Departamento de Áreas Acadêmicas, da Coordenação de Apoio ao Discente (CAPD) e das Coordenações de Cursos, da Gerência de Pesquisa e Extensão (Gepex), da Coordenação de Assistência Estudantil, bem como as demandas estudantis.

A segunda reunião foi realizada no último dia 28 e foram abordados os seguintes assuntos: esclarecimentos sobre reuniões no âmbito da gestão do câmpus, com a participação de estudantes e orientações sobre solicitações e encaminhamentos das representações estudantis para os setores da unidade; espaços para o Centro Acadêmico; para o Grêmio Estudantil; para a equipe de Gestão Ampliada, além de outros setores. A próxima reunião já tem data definida e será realizada no dia 19 de maio.

 

#ConversAção em Rede - O distanciamento social, em função da Covid-19, não precisa ser sinônimo de solidão e, pensando nisso, a Coordenação de Assistência Estudantil, por meio do serviço de Psicologia, oportuniza aos estudantes do Câmpus Goiânia Oeste um espaço/tempo para escuta de angústias, anseios e medos diante do momento que estamos vivenciando. “É uma ação muito importante, voltada aos estudantes que estão precisando de algum aconselhamento ou comunicação direta de algum profissional”, reforça o diretor-geral.
De acordo com a Coordenação, é um momento para conversa e para o desenvolvimento da comunicação dinâmica, reflexiva e de intercâmbios. Não é psicoterapia, mas um espaço de acolhimento e de estreitamento dos laços entre a comunidade acadêmica.

A imagem está sendo divulgada aos estudantes
A imagem está sendo divulgada aos estudantes

 

Para acesso ao serviço basta enviar uma solicitação para o aline.ferro@ifg.edu.br. O estudante deverá enviar nome completo, curso e o telefone para que o contato possa ser realizado.


Projeto de Pesquisa – “Estudo multicêntrico de avaliação epidemiológica das Infecções Bacterianas Relacionadas à Assistência em Saúde, em usuários da saúde diagnosticados ou não com COVID-19, pelo monitoramento digital no âmbito das Comissões de Controle de Infecções Hospitalares” é o título do projeto de pesquisa tem como objetivo principal realizar a análise epidemiológica das Infecções Bacterianas Relacionadas à Assistência em Saúde (IBRAS), por meio do monitoramento com auxílio de uma ferramenta digital. A pesquisa será realizada em 20 hospitais (sendo 10 no estado de Goiás e outros 10 no estado de São Paulo), com financiamento do Ministério da Saúde na ordem de R$ 12 milhões. O IFG já recebeu esses recursos e a coordenação do projeto é de um professor do Câmpus Valparaíso. Além daquela unidade e do Câmpus Goiânia Oeste, o Câmpus Águas Lindas também integra a pesquisa.

No câmpus Goiânia Oeste a equipe é formada por 9 docentes (especialistas, mestres, doutoras). A pesquisa será realizada por um período de 18 meses, com início efetivo após o parecer emitido pelo Conselho Nacional de Saúde (Conep) e após a anuência das instituições. Saiba mais: http://ifg.edu.br/ultimas-noticias/17662-recursos-combate-a-covid19

 

Projeto de Extensão - De iniciativa da Universidade Federal de Fluminense (RJ), e a convite do Ministério da Saúde, que é a agência financiadora do projeto, o IFG participa da execução da ação de extensão intitulada “Telemonitoramento de portadores de Doenças Crônicas Não Transmissíveis no Estado de Goiás", por meio dos câmpus Goiânia Oeste e Águas Lindas. 

O objetivo principal é monitorar usuários de saúde, egressos de internação hospitalar e portadores de doenças crônicas não transmissíveis no estado de Goiás. Por parte do Câmpus Goiânia Oeste, integram o projeto 7 servidoras (docentes e técnicas administrativas), todas com formação superior em Enfermagem. Também está prevista, quando do retorno das aulas, a participação de 10 estudantes do curso técnico integrado em Enfermagem da Educação de Jovens e Adultos (EJA). A previsão é que a execução do projeto seja realizada durante 6 meses, a partir da data de início no mês de abril.

“Tanto esse projeto quanto o de pesquisa, o Câmpus Goiânia Oeste foi contemplado como unidade que possui o Eixo Ambiente e Saúde como um dos seus eixos de verticalização”, complementa Cleberson Arruda, diretor-geral.

 

Produção de Álcool 70% Glicerinado - A partir do projeto iniciado em março pelo Câmpus Luziânia, com a produção de álcool a 70% (líquido e em gel), o Câmpus Goiânia Oeste iniciará, nas próximas semanas, a produção de álcool 70% glicerinado. A equipe aguarda os insumos que estão sendo adquiridos pela Pró-Reitoria de Administração, para iniciar a produção. O trabalho será coordenado pela professora Karla de Aleluia Batista, que assinará como responsável técnica da produção, conforme exigência normativa.

Inicialmente a produção será destinada às comunidades vulneráveis das regiões Oeste e Noroeste de Goiânia e, quando do retorno às atividades presenciais, o projeto selecionará quatro estudantes bolsistas, sendo dois dos cursos técnicos e dois do curso de Licenciatura em Pedagogia, para atuarem em nova etapa, com previsão de distribuição para centros municipais de Educação Infantil e para escolas municipais e estaduais. “Vamos priorizar os espaços públicos em que a educação acontece para fazer a distribuição, mas pretendemos atuar também em espaços não formais de educação”, afirma o diretor-geral Cleberson Arruda.

As ações do Câmpus Goiânia Oeste somam-se às demais ações que o IFG está realizando com o total envolvimento dos câmpus e da Reitoria. As notícias sobre as ações podem ser acessadas aqui. Há também um formulário para cadastramento de novas ações. Por meio das respostas ao formulário, o IFG pretende mapear todas as ações em desenvolvimento nesse momento de pandemia pelo coronavírus.

 

Notícias (Aluno)

Comunicados (Aluno)

Fim do conteúdo da página