Ir direto para menu de acessibilidade.

GTranslate - Tradução do site

ptenfrdeites

Opções de acessibilidade

Você está aqui: Página inicial
Início do conteúdo da página
Licenciaturas

Importância do professor pesquisador é destacada em palestra da aula inaugural de Pedagogia Bilíngue

Criado: Quarta, 12 de Abril de 2017, 10h59 | Última atualização em Quinta, 20 de Abril de 2017, 12h32

 A exposição foi feita pela doutora Miriam Fábia Alves, da Faculdade de Educação da UFG

A palestra uniu duas atividades significativas para os cursos de licenciatura do IFG Aparecida de Goiânia
A palestra uniu duas atividades significativas para os cursos de licenciatura do IFG Aparecida de Goiânia

A pesquisa como componente fundamental na formação do professor foi a abordagem central da palestra “Licenciatura em Diálogo: pesquisa e formação de professores”, mininstrada pela doutora em Educação Miriam Fábia Alves, na aula inaugural do curso de Pedagogia Bilíngue, na noite desta terça-feira, 11, no Câmpus Aparecida de Goiânia do Instituto Federal de Goiás (IFG). Historiadora e coordenadora das Licenciaturas e Educação Básica na Pró-Reitoria de Graduação da Universidade Federal de Goiás (UFG), Miriam Fábia conversou com professores e alunos dos cursos de Licenciatura em Dança e Pedagogia Bilíngue do IFG sobre o cenário educacional dos últimos anos no País, perspectivas e os aspectos que a diretriz que trata da formação de professores traz sobre a pesquisa. A atividade marcou também a primeira edição 2017 do projeto Café Atitude Investigativa.

Miriam Fábia pontuou avanços vividos no cenário educacional brasileiro no período entre os anos de 2003 e 2015, em que foram implantadas políticas inclusivas, de ampliação da rede pública federal, de financiamento da educação pública e outras.

 

“A aula é o exercício da pesquisa materializado”, afirmou Míriam Fábia. Ela ressaltou que aos educadores não basta o conhecimento adquirido teoricamente e discorreu sobre a importância da pesquisa científica para a construção de argumentos, a capacidade de compreender e de lidar com as transformações sociais e para o bom exercício da profissão. A palestrante falou também das condições aviltantes de trabalho vividas por muitos professores que, em função de baixos salários, precisam se desdobrar em até três empregos, o que inviabiliza a qualidade de seu ofício.


Miriam Fábia Alves pontuou avanços vividos no cenário educacional brasileiro no período entre os anos de 2003 e 2015, em que foram implantadas políticas inclusivas, de ampliação da rede pública federal, de financiamento da educação pública e outras. Na sua avaliação, o cenário atual anuncia retrocessos, com a retomada da agenda neoliberal no País trazendo terceirizações e privatizações e com o congelamento de gastos sociais. “Onde está nossa capacidade de embate e de debate? Na pesquisa”, enfatizou, explicando que os números não podem ser estudados como dados inquestionáveis e que avaliar suas aplicações e possibilidades ajudam a compreender a realidade. 

 

Atividades integradas

 


A palestrante contou um pouco de sua história de vida como estudante, professora e pesquisadora. Ela lembrou ter desenvolvido seu mestrado antes do advento da internet, mecanismo que trouxe imensa expansão da difusão do conhecimento para professores e alunos. “Essa nova realidade exige um novo tipo de professor”, disse. Ela ressaltou a importância do trabalho conjunto, em grupos de pesquisa, como gerador de grande aprendizado aos docentes. Após seu pronunciamento, a professora respondeu a perguntas dos participantes.

 

A exposição “Licenciatura em Diálogo: pesquisa e formação de professores” foi parte da programação da Calourada do curso de Pedagogia Bilíngue e marcou também a primeira edição 2017 do projeto de extensão Café Atitude Investigativa, voltado a alunos dos cursos de licenciatura do Câmpus Aparecida de Goiânia do IFG. Na abertura da atividade, a coordenadora do curso de Pedagogia Bilíngue, professora Aleir Ferraz Tenório, convidou os participantes a pensar uma educação que seja problematizadora e elevadora do ser humano. A coordenadora do projeto Café Atitude Investigativa, professora Késia Mendes, comentou que o trabalho começou como um curso de verão e que já está no terceiro ano de funcionamento como projeto de extensão. Para Késia, o auditório lotado para a palestra da professora Míriam Fábia demonstrou o compromisso dos estudantes das licenciaturas em Dança e em Pedagogia Bilíngue com a importância do debate e das reflexões sobre sua formação.

 

A diretora geral do IFG – Câmpus Aparecida de Goiânia, professora Ana Lucia Siqueira, foi mediadora da palestra e falou aos futuros educadores que se sente honrada em ser professora. Ana Lucia destacou a decisão acertada das professoras Aleir e Késia em trazer aos estudantes do Câmpus uma importante palestrante unindo duas atividades significativas para os cursos de licenciatura. O chefe do Departamento de Áreas Acadêmicas do IFG Aparecida, professor Wanderley Azevedo de Brito, também parabenizou as professoras pela união do projeto de extensão com a aula inaugural do curso para debater a formação de professores. Brito enalteceu a riqueza da articulação entre ensino, pesquisa e extensão nas atividades desenvolvidas no Instituto Federal de Goiás e no Câmpus Aparecida de Goiânia.

 

 

Veja aqui imagens da palestra

 

 

Coordenação de Comunicação Social e Eventos – Câmpus Aparecida de Goiânia

 

Fim do conteúdo da página