Ir direto para menu de acessibilidade.

GTranslate - Tradução do site

ptenfrdeites

Opções de acessibilidade

Você está aqui: Página inicial
Início do conteúdo da página
Saúde

Estudantes de Enfermagem fazem visita técnica à Apae de Anápolis

Criado: Quinta, 13 de Julho de 2017, 16h22 | Última atualização em Terça, 08 de Agosto de 2017, 14h38

O foco da visita foi o funcionamento do Ambulatório Multidisciplinar Especializado (AME)

Na última quarta-feira, dia 12, estudantes do quinto período do curso técnico em Enfermagem na modalidade de Educação de Jovens e Adultos (EJA) participaram de uma visita técnica à Apae (Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais) de Anápolis. A atividade, realizada como parte da disciplina Práticas Assistidas I, foi realizada em dois momentos, tendo ocorrido o primeiro no dia 07 de junho, quando os estudantes foram acompanhados pelas professoras Lara Patrícia, Fernanda Letícia e Danielly Lopes.


A professora Danielly, que acompanhou a turma nos dois momentos, explica que os alunos foram organizados em dois grupos a pedido da Apae, tendo em vista um atendimento mais personalizado no Ambulatório Multidisciplinar Especializado (AME), área na qual foi focada a visita. Segundo a professora, esse setor é responsável por cuidar de crianças que apresentam problemas identificados pelo teste do pezinho, como anemia falciforme, fenilcetonúria e hipotireoidismo congênito.


“São doenças genéticas, metabólicas, que as crianças nascem com elas e que, se não forem detectadas em tempo, algumas delas podem causar retardo mental... então é preciso que os alunos compreendam a importância desse teste, para repassarem como forma de orientação para os futuros pacientes e para que eles (alunos) compreendam e façam de forma bem feita”, explica a professora Danielly, destacando a importância do teste.


Segundo a docente, a visita possibilitou aos estudantes um entendimento sobre as atividades que são realizadas na Apae, envolvendo um atendimento multidisciplinar, com tratamentos tanto medicamentosos quanto não medicamentosos, com acompanhamento de psicólogos, terapeutas ocupacionais, envolvendo as crianças e também seus familiares.


Outro ponto de destaque na ocasião foi a visita à escola Maria Montessori, mantida pela Apae, que fornece um atendimento a crianças excepcionais, fazendo um trabalho de inclusão. Além disso, segundo a professora, os discentes também gostaram da possibilidade de realização de trabalhos voluntários na instituição.

Comunicação Social / Câmpus Águas Lindas

Fim do conteúdo da página