Ir direto para menu de acessibilidade.

GTranslate - Tradução do site

ptenfrdeitesth

Opções de acessibilidade

Você está aqui: Página inicial
Início do conteúdo da página
Reitor

Professor Jerônimo se despede da gestão à frente da Reitoria do IFG

Em seu último dia de mandato eletivo, o docente presidiu a 73ª reunião do Consup, na qual foram apresentados dados sobre seus 8 anos de gestão

  • Criado: Segunda, 04 de Outubro de 2021, 20h09
  • Última atualização em Segunda, 18 de Outubro de 2021, 16h20
Professor Jerônimo se despede da gestão à frente da Reitoria do IFG
Professor Jerônimo se despede da gestão à frente da Reitoria do IFG

No último dia de seu mandato eletivo como reitor do Instituto Federal de Goiás (IFG), o professor Jerônimo Rodrigues da Silva presidiu a 73ª edição da reunião do Conselho Superior da Instituição e, nela, aproveitou para agradecer a comunidade acadêmica pela confiança depositada ao longo dos anos em que esteve à frente da Reitoria do IFG. Durante a reunião, o gestor convidou o professor Weber Tavares para apresentar alguns dados sobre a gestão da Instituição nos últimos 8 anos. As informações sobre esse período estão presentes em um relatório. O documento, em fase final de editoração, deve ser disponibilizado em formato e-book à comunidade acadêmica nos próximos dias.  

O professor Jerônimo Rodrigues da Silva ingressou na antiga Escola Técnica Federal de Goiás em 1984. Além da docência, exerceu diversas funções administrativas na Instituição. Como membro do Conselho Superior do IFG, acompanhou a implantação dos câmpus Formosa, Anápolis e Águas Lindas, tendo ocupado, também, o cargo de pró-reitor de Desenvolvimento Institucional. Eleito reitor pela primeira vez em julho de 2013, Jerônimo ficou à frente da Instituição por 8 anos. Nesse período, em seu primeiro mandato, participou como diretor administrativo e vice-presidente do Conselho Nacional das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica (Conif). Já em seu segundo mandato, o professor foi eleito como presidente do Conif, em dezembro de 2018. 

 

Reunião do Conselho Superior

Antes de iniciar a discussão das pautas, Jerônimo ressaltou que a reunião do Consup presidida nesta segunda-feira, 4, coincidia com o último dia de sua gestão à frente da Reitoria do IFG. Durante os informes, o professor falou a respeito dos trâmites relacionados à posse da nova reitora, a atual pró-reitora de Ensino, professora Oneida Irigon: “Nosso mandato vence na data de hoje. Estamos aguardando a publicação do Decreto que nomeia a professora Oneida para assumir a gestão nos próximos quatro anos”.

De acordo com Jerônimo, o decreto presidencial deve ser publicado no Diário Oficial da União (DOU) nesta terça-feira, dia 5 de outubro. Durante a reunião, o professor contou que esteve em Brasília na última semana, conversou sobre a transição e foi informado de que o Decreto já estava na Casa Civil, aguardando a publicação.

 

Relatório de Gestão

Durante a reunião do Consup, Jerônimo convidou o professor Weber Tavares, assessor de planejamento e desenvolvimento institucional do IFG, para falar sobre o trabalho da gestão realizado ao longo dos últimos 8 anos. Weber fez um relato sobre os avanços durante o período e falou da necessidade de comemorar os resultados. As questões apresentadas pelo docente estão presentes no relatório que compreende os dois mandatos de Jerônimo Rodrigues. O documento em formato e-book será disponibilizado nos próximos dias à comunidade acadêmica.

Segundo Weber, o relatório fala sobre o IFG e sua trajetória, desde sua criação, menciona a estrutura organizacional, a regulamentação da Instituição e destaca os avanços realizados nos últimos 8 anos. Weber ressaltou que o documento também traz uma seção voltada àquilo que foi produzido pelo Conselho Superior: “um trabalho que sem sombra de dúvidas ganhou muita relevância nos últimos anos”.

Como ressaltou o gestor da APDI, “quando a gente fala do trabalho do Conselho Superior, a gente está falando em reduzir o poder discricionário do dirigente máximo, transferindo esse poder para um órgão colegiado, onde estão representadas todas as categorias, a comunidade externa. E é esse órgão que é o órgão máximo da Instituição”. Ao longo dos últimos anos, como destacou Weber, foram publicadas mais de 300 resoluções, mais de 70 projetos pedagógicos foram discutidos e aprovados: “Nós tivemos 105 regulamentos institucionais que definiram como a Instituição deve funcionar: sempre por meio do debate público”.

O relatório também apresenta os mecanismos de transparência criados na Instituição, os setores de apoio, as estruturas que surgiram relacionadas à pesquisa, ao ensino e à extensão, como o Centro de Inovação Tecnológica (Cite), o Polo Embrapii e outras iniciativas. Além disso, informa sobre as comissões que foram regulamentadas no período, como a CPPD e a CIS, e menciona outras normas institucionais criadas, como o regulamento do concurso docente; o regulamento do Conselho de Câmpus; os documentos responsáveis pela implementação de bolsas dentro da Instituição.

Weber ainda citou a importância dos documentos que regulam o processo de remoção de servidores, o acompanhamento de egressos, além dos regulamentos de algumas políticas, como a de Comunicação, cujo lançamento em forma de e-book foi feito nesta segunda-feira, 4, e da Internacionalização.

Weber fala sobre o relatório da gestão, durante a reunião do Consup

Como pontuou Weber, “dezenas desses regulamentos foram submetidos à consulta da comunidade acadêmica”. Observando a participação da comunidade, o gestor destacou que pouca gente participa dos processos e chamou atenção para o fato de que o IFG precisa avançar no sentido de fazer com que o público participe. Contudo, para Weber, “esse não é um problema exatamente do IFG. Talvez nós, brasileiros, precisemos nos apropriar dos mecanismos de participação na democracia dos processos políticos. E nesse caso especificamente eu fico feliz quando eu vejo a intenção, o esforço da Instituição em fazer com que a comunidade aprenda cada vez mais a utilizar essa ferramenta”.

Weber ainda destacou que nesse período foi criado o Portal da Transparência e pontuou: “tudo o que acontece no IFG está disponível nesse portal”. Com o Portal, “tentamos dar para o cidadão a melhor forma de acompanhar o que está acontecendo no IFG”. O gestor ressaltou também que, nesse período de 8 anos, houve uma evolução do quantitativo de servidores do IFG, ainda que esse número tenha estacionado no ano de 2016. Um dos avanços mais importante, segundo o gestor, foi o crescimento significativo na oferta de cursos técnicos, superiores e de pós-graduação.

Após a apresentação do relatório, o professor Jerônimo, voltando-se ao membros do Conselho Superior, se despediu: “gostaria de deixar minha gratidão a todos vocês, a todos os conselheiros e conselheiras, e dizer... dizer não, fazer um pedido. A professora Oneida vai assumir essa gestão pelos próximos 4 anos. Que vocês possam continuar dando todo esse suporte, apoio e dedicação a ela, como vocês fizeram comigo nesses 8 anos de gestão.”

 

Nova Gestão

O Gabinete da Reitoria do IFG informou, nesta segunda-feira, que expediu portarias de nomeação dos diretores-gerais dos Câmpus como pro tempore, até que a nomeação da professora Oneida como reitora seja efetivada. O setor informou que, à exceção dos câmpus Goiânia e Jataí, que terão como diretor-geral pro tempore, respectivamente, a professora Adriana dos Reis Ferreira e o professor Ruberley Rodrigues de Sousa, os demais diretores-gerais permanecerão como pro tempore.

Nas eleições ocorridas neste ano no IFG, foram eleitos os seguintes diretores-gerais: Tiago Gomes de Araújo (Águas Lindas de Goiás); Kátia Cilene Costa Fernandes (Anápolis); Eduardo de Carvalho Rezende (Aparecida de Goiânia); Sandro Ramos de Lima (Cidade de Goiás); Thiago Gonçalves Dias (Formosa); Adriana dos Reis Ferreira (Goiânia); Cleberson Pereira Arruda (Goiânia Oeste); Luciano dos Santos (Inhumas); Marcos Antônio Arantes de Freitas (Itumbiara); Ruberley Rodrigues de Souza (Jataí); Reinaldo de Lima Reis Júnior (Luziânia); Maria Betânia Gondim da Costa (Senador Canedo); Andreia Alves do Prado (Uruaçu); e Reginaldo Dias dos Santos (Valparaíso de Goiás).

O Gabinete da Reitoria informou também que expediu portarias de nomeação para o professor José Carlos Barros Silva, como diretor executivo, e Diego Silva Xavier, como pró-reitor de Administração. As portarias sairão na edição do Diário Oficial da União (DOU) desta terça-feira, 5 de outubro.

No dia 1º de outubro, conforme o Gabinete, foi publicada no DOU a portaria nomeando a professora Thais Amaral e Sousa, como pró-reitora de Pesquisa e Pós-Graduação. Segundo o Gabinete, os pró-reitores das pastas de Ensino, Extensão e Desenvolvimento Institucional e Recursos Humanos permanecem os mesmos.  A professora Oneida, reitora eleita, responderá pela pró-reitoria de Ensino até que seja assinado e publicado, pelo governo federal, o decreto que a nomeia reitora do IFG.

 Confira aqui o vídeo com a mensagem de despedida do reitor, professor Jerônimo Rodrigues (publicação do Instagram)

 

 

Diretoria de Comunicação Social/Reitoria.

Fim do conteúdo da página