Ir direto para menu de acessibilidade.

GTranslate - Tradução do site

ptenfrdeites

Opções de acessibilidade

Você está aqui: Página inicial
Início do conteúdo da página
Palestra

Saúde Mental é tema de palestra no primeiro dia de aula do Câmpus Itumbiara

Criado: Terça, 12 de Fevereiro de 2019, 11h44 | Última atualização em Quinta, 14 de Fevereiro de 2019, 11h05

Iniciativa teve por objetivo tornar as relações mais humanas no ambiente acadêmico

A comunidade acadêmica tem o dever de tornar a Instituição mais humana a fim de evitar situações de dor e violência
A comunidade acadêmica tem o dever de tornar a Instituição mais humana a fim de evitar situações de dor e violência

 

Você já Reparou, Ouviu ou Conduziu alguém hoje? Pois saiba que as inicias dessas palavras formam a sigla ROC, que significa: reparar no Risco, Ouvir com atenção, Conduzir para um atendimento. A sigla foi criada pelo professor da Unicamp, Neury Botega, e seu conceito foi explicado ontem, 11, durante a palestra “Por uma cultura da Saúde Mental”, conduzida pelo psicólogo Leonardo Abrahão, de Uberlândia (MG).

Segundo Leonardo, “nós, seres humanos, somos analfabetos emocionais (...) trombando uns nos outros”, isso porque apesar de todos os avanços tecnológicos da humanidade (viajar ao sistema solar, construção de prédios capazes de resistir a terremotos e transplantes de face, por exemplo), continuamos sendo um sistema emocional ambulante sem instrução, reféns de nossas emoções.

Tanto é verdade, explica Leonardo, que ainda hoje pessoas matam por não possuírem autocontrole de suas emoções, permitindo que sentimentos como a raiva, inveja, ciúme e frustração provoquem reações violentas no trânsito, em casa, na escola, etc. O psicólogo comenta que “a falta de respeito a si mesmo e à subjetividade alheia” são os gerados dos mais variados tipos de preconceito como racismo, machismo, homofobia, lesbofobia, entre outros.

Para o palestrante, além das áreas como matemática, física e biologia, todos nós precisamos aprender a lidar e compreender os sentimentos, pois “somos iguais nas fragilidades”, e não podemos partir do pressuposto de que todos nós fazemos e temos escolhas maduras e racionais. Atualmente, diz Leonardo, “a depressão é a principal doença que acomete a juventude mundial” e, no Brasil, 32 pessoas tiram a própria vida diariamente.

 

Ambiente universitário
Leonardo Abrahão é autor do livro Promoção da Vida – cuidando dos indivíduos e mudando as sociedades, todos os suicídios são evitáveis e tem um capítulo dedicado à questão do suicídio na vida universitária. De acordo com o autor, nossa sociedade entende erroneamente o ato da aprovação no vestibular como um “rito de passagem” da adolescência para a vida adulta, como se instantânea e automaticamente o jovem possui condições de assumir as responsabilidades características à essa fase.

O que acontece é que o estudante, sem maturidade emocional e com suas fragilidades, diz o psicólogo, pode se associar a outras pessoas e situações que o conduzam para vícios em drogas e álcool durante o período na universidade. E que por isso devemos nos preocupar e ficar atentos aos sinais de uma possível vítima dessa situação de dor e degradação.

Voltando ao conceito da sigla ROC, Leonardo reafirma que seja no ambiente acadêmico ou familiar, devemos estar disponíveis e “dispostos a fim de fazer a diferença na vida do outro”, ouvindo verdadeiramente e sem julgamentos morais, nos preocupando com mudanças repentinas de hábitos e comportamentos dos amigos e famliares. Para o psicólogo, “se não começarmos a falar sobre Saúde Mental [que já foi considerada tabu] não vai sobrar humanidade”. Por isso precisamos buscar urgentemente o equilíbrio entre os valores sentimentais e materiais, e diminuir tantas situações de dor e casos de violência, completa Leonardo.

 

Campanha Janeiro Branco
Leonardo Abrahão também é autor da Campanha Janeiro Branco “dedicada a convidar as pessoas a pensarem sobre suas vidas, o sentido e o propósito das suas vidas, a qualidade dos seus relacionamentos e o quanto elas conhecem sobre si mesmas, suas emoções, seus pensamentos e sobre os seus comportamentos”.
Visite o site oficial da campanha aqui: http://janeirobranco.com.br/

 

Procure ajuda
O Câmpus Itumbiara dispõe de equipe com psicólogos, pedagogos e assistentes sociais para atendimento aos alunos da Instituição gratuitamente. Procure o Setor de Saúde da Unidade para se informar.

 

Antes da palestra, o cantor Márcio Honorato e a profa. de música, Daniela Oliveira, recepcionaram calouros e veteranos no primeiro dia de aula
Antes da palestra, o cantor Márcio Honorato e a profa. de música, Daniela Oliveira, recepcionaram calouros e veteranos no primeiro dia de aula

 


Setor de Comunicação Social e Eventos – Câmpus Itumbiara.

Fim do conteúdo da página