Ir direto para menu de acessibilidade.

GTranslate - Tradução do site

ptenfrdeites

Opções de acessibilidade

Você está aqui: Página inicial
Início do conteúdo da página
CONSULTA PÚBLICA

Comunidade acadêmica pode opinar sobre criação e funcionamento de empresas juniores no IFG

Criado: Quarta, 31 de Janeiro de 2018, 08h22 | Última atualização em Segunda, 19 de Fevereiro de 2018, 09h26

Questionário para avaliação e comentários de cada item da minuta de resolução estará disponível a partir de hoje

Servidores e alunos do IFG podem contribuir para a elaboração da resolução que vai tratar das empresas juniores no âmbito da Instituição. A partir de hoje, 31, todos podem responder o formulário que possibilita avaliar e comentar cada item da minuta de resolução, elaborada pela Pró-Reitoria de Extensão (Proex), por meio da Diretoria de Ações Profissionais e Tecnológicas (DAPT).

A minuta tem como objetivo estabelecer as normas e diretrizes que regem a criação, o reconhecimento e o funcionamento das empresas juniores no IFG. O formulário para as contribuições apresenta todos os artigos da proposta de resolução, para avaliação e comentários. A avaliação dos itens é obrigatória e indica o nível de concordância com cada item apresentado, numa escala de 0 a 5. Após cada item, há espaço para contribuições, que são opcionais.

Na segunda seção do formulário, há uma única questão de resposta opcional, em que poderão ser acrescentadas contribuições sobre aspectos não incluídos na minuta apresentada.

As empresas juniores são empresas reais, com CNPJ próprio e autonomia administrativa, mas vinculadas a uma instituição de ensino e sem finalidade de lucro. Elas devem ser criadas por estudantes e devem contar com a orientação/supervisão de um professor.

O objetivo da criação de empresas juniores é proporcionar a seus membros a aplicação prática dos conhecimentos teóricos adquiridos em sala de aula, a vivência do mundo do trabalho, o desenvolvendo de habilidades técnicas, acadêmicas e pessoais.

No caso do IFG, a proposta é de que cada curso possa ter uma empresa júnior, que poderá prestar serviços às instituições públicas e privadas, às micros, pequenas, e médias empresas, organizações não governamentais (ONGs) e do terceiro setor. Também está na proposta de resolução que a criação das empresas juniores deverá ser aprovada no âmbito institucional.

A consulta pública ficará aberta até 16 de março.

 

Acesse o formulário.

 

 

 

Diretoria de Comunicação Social/Reitoria.

Fim do conteúdo da página