Extensão

"Devemos ter esta consciência de que nosso país é pluriétnico", indígena faz relato emocionante sobre o respeito à diversidade

  • Imprimir
Criado: Sábado, 07 de Setembro de 2019, 12h53 | Última atualização em Sábado, 07 de Setembro de 2019, 14h51

III Semana da Consciência Étnico-Racial chegou ao fim nessa quinta-feira,05

Beto mostrando a localidade no mapa do Vale do Javari
Beto mostrando a localidade no mapa do Vale do Javari

 Diversas atividades, como palestras, mesa-redonda, oficinas, assim foi a III Semana da Consciência Étnico-Racial do IFG Câmpus Valparaíso. No dia 05 de setembro, último dia do evento, na noite de quinta-feira, a mesa-redonda de debates contou com a presença de Beto Marubo (indígena da região do Vale do Javari) e de Eliseu Amaro, professor de filosofia do DF.

 

Beto logo no início da apresentação declara: "Sou Marubo, sou indígena, sou brasileiro". Ele, atualmente, representa o movimento indígena da sua região pelo Brasil, divulgando sua cultura e ajudando a preservá-la: "Devemos ter esta consciência que nosso país é pluriétnico". E lembra a importância da preservação: "As terras indígenas são patrimônio do país, do povo brasileiro". Beto Marubo vem da região do Vale do Javari, localizado no sudoeste do Amazonas.

 

Eliseu durante exposição das ideias


Filosofia africana
"A gente estuda na academia a perspectiva do pensamento europeu, mas e o pensamento ameríndio, africano, asiático...?" e, completa: "Mas a gente só estuda uma perspectiva, por quê?". Estas foram as perguntas iniciais levantadas pelo filósofo Eliseu Amaro, professor ligado à Secretaria de Educação do Distrito Federal. O professor explica a hegemonia do pensamento europeu: "O processo de colonialismo fez isto, de levar seu conhecimento com uma única fonte de conhecimento seguro".

 

Eliseu apresentou um vídeo com a filosofa Sueli Carneiro e como a descoberta de uma filosofa brasileira negra motivou sua carreira. Mas explica: "O importante não existir um pensamento hegemônico, não é trocar o pensamento europeu pelo africano, ou ameríndio..., é defender uma pluralidade de pensamentos".


Veja mais fotos deste evento, acesse: www.facebook.com/ifgvalparaiso/

 


Coordenação de Comunicação Social/Câmpus Valparaíso