Ir direto para menu de acessibilidade.

GTranslate - Tradução do site

ptenfrdeites

Opções de acessibilidade

Você está aqui: Página inicial > Servidor > IFG > Últimas notícias > Construção coletiva e resistência marcam abertura do “Março Mulher Interinstitucional 2018”
Início do conteúdo da página
Mulher

Construção coletiva e resistência marcam abertura do “Março Mulher Interinstitucional 2018”

Ações serão realizadas durante todo mês, em diversos locais, e contemplam atividades culturais, ato público, debates e palestras

O que buscamos? Onde chegamos? Tivemos avanços? Conquistas? A construção coletiva como peça-chave na luta das mulheres pelas mulheres. Com sentimento de resistência, essas e outras indagações abriram a manhã de hoje, 6, as ações conjuntas, entre os institutos federais de Goiás (IFG) e Goiano (IF Goiano), a Universidade Federal de Goiás (UFG) e demais parceiros, que vão marcar o mês simbólico da mulher, em alusão ao dia 8 de março - Dia Internacional da Mulher. As ações coletivas vão além desta quinta-feira, vão além das discussões do papel da mulher, da sua representatividade institucional, do que de fato representa hoje ser mulher, e possuem uma vasta programação nos próximos dias, toda aberta ao público.

Presente à mesa diretiva do evento, que ocorreu no auditório da Faculdade de Odontologia da UFG, a Diretora-Executiva do IFG, professora Adriana dos Reis, ressalta que “o que queremos é que essa seja uma discussão contínua no nosso dia a dia, a discriminação contra as mulheres existe em nossas instituições, sabemos que menos mulheres que homens ocupam os cargos de gestão, então temos que trazer esse debate pra dentro das nossas instituições”, finaliza.

Para a diretora de Relações Étnico-raciais, Gênero e Diversidade do Sindicato dos Trabalhadores Técnico-Administrativos em Educação das Instituições de Ensino Superior do Estado de Goiás (Sint-Ifesgo), Michely Coutinho Oliveira de Andrade, o momento é de perda de direitos das mulheres e de retrocesso, com a aprovação da nova lei trabalhista. “Mas nas nossas falas e atuações, a gente resiste! Essa iniciativa de realização desse mês foi uma construção coletiva. Março é um mês simbólico, mas continuamos resistindo o ano todo”, afirma Michely. Ela manda ainda um recado: “Aos machistas que ainda insistem em existir, em 2018, que construam uma máquina do tempo, porque esses não passarão”. Ela finaliza sua fala chamando todos para a rua, para um ato público no dia 8, às 8 horas, na Assembleia Legislativa de Goiás, em Goiânia, e completa com uma frase da cantora Pitty: “Não volto pra cozinha, nem o negro pra senzala, nem o gay pro armário".

Vice-reitora da UFG e também presente à mesa diretiva, professora Sandramara Matias Chaves, afirma que esse é o momento de “congregar esforços dos nossos coirmãos institutos federais. Estamos vindo de um contexto em que estamos no topo da posição no número de casos de violência doméstica contra a mulher. É uma triste realidade. Temos um papel formativo, educativo e precisamos exercer nosso papel de luta, de formação, de mudança de postura, é uma construção que passa pela desconstrução do machismo, do desrespeito à diversidade e às diferenças. É uma construção coletiva”, finaliza.

Após as falas da mesa diretiva, que contou ainda com as presenças do diretor de Gestão de Pessoas do IF Goiano, Luiz Antônio Martins, da coordenadora da pasta feminista do DCE da UFG, Rebeca Calgaro, e da diretora de Assuntos Educacionais da Associação dos Docentes das Universidades Federais de Goiás (Aduf), Daniele, foi realizada a palestra Mulher, representatividade e o institucional como espaço público, com a professora da UFG Luciene Dias.

A servidora da UFG Ariane Martins de Brito se diz animada com a iniciativa, ressaltando que a mulher está se expressando mais, no mercado de trabalho, na música, nas frases de “não me toque, não fale assim comigo”. “Ainda temos uma cultura muito machista, em que a mulher tem que se sobressair, tem que trabalhar, cuidar dos filhos e ainda do marido. Estamos vivendo a cultura do amor-próprio, de se valorizar mais, de alcançar aquilo que realmente queremos no trabalho. Até a dor da mulher tem que ser menor. É o momento em que estamos nos mostrando, em todos os sentidos”, defende a servidora.

 Programação

O dia 8, dia Internacional da Mulher, será marcado por várias atividades realizadas pelas instituições parceiras – IFG, IF Goiano, UFG, Aduf, Sint-Ifesgo, DCE UFG e Associação de Pós-Graduandos de Goiás (APGO). No IFG, às 7h30, os (as) servidores (as) da reitoria serão recepcionados com apresentação de dança e poesia feita pela Cia de Teatro Senhoras do Cerrado. E no dia 13, na sala de reuniões da reitoria, às 11 horas, será realizada a palestra A participação feminina nos cargos de gestão do IFG, com a servidora Danielle Pavan. Nos câmpus do IFG é preciso conferir se haverá programação local.

Estiveram presentes na manhã de hoje, do IFG, o pró-reitor de Desenvolvimento Institucional, Amaury França Araujo, a diretora de Recursos Humanos, Sandra Abadia Ferreira, e a psicóloga da Coordenação de Assistência ao Servidor, Isabela Pimentel Lemos.

 

Veja a programação completa do Março Mulher Interinstitucional 2018.

 

Diretoria de Comunicação Social/Reitoria.

 

 

Notícias (Servidor)

Fim do conteúdo da página