Ir direto para menu de acessibilidade.

GTranslate - Tradução do site

ptenfrdeitesth

Opções de acessibilidade

Você está aqui: Página inicial
Início do conteúdo da página
Aniversário

Câmpus Goiânia completa 78 anos neste domingo, 5 de julho

Criado: Sexta, 03 de Julho de 2020, 16h14 | Última atualização em Quinta, 16 de Julho de 2020, 09h41

Em virtude da pandemia de Covid-19, não haverá comemoração presencial neste aniversário

A unidade chega aos seus 78 anos de fundação neste domingo, 5 de julho.
A unidade chega aos seus 78 anos de fundação neste domingo, 5 de julho.

Fundado em 5 de julho de 1942, o Câmpus Goiânia do Instituto Federal de Goiás (IFG) celebra o aniversário de 78 anos neste domingo, 5. A unidade é a pioneira na história da instituição e sua fundação associa-se às celebrações do Batismo Cultural de Goiânia.

Em virtude da suspensão das atividades acadêmicas presenciais no IFG ocasionada pela pandemia do coronavírus Covid-19, não haverá a festividade de aniversário do câmpus neste ano. A Diretoria-Geral do Câmpus emitiu uma mensagem que recorda esta data tão importante para a instituição.

Diretoria-Geral do Câmpus Goiânia emitiu mensagem para a comunidade em ocasião ao aniversário de 78 anos da unidade.
A Diretoria-Geral do Câmpus Goiânia emitiu uma mensagem para a comunidade em ocasião do aniversário de 78 anos da unidade, que é celebrado neste domingo, 5 de julho.

 

A história do Câmpus Goiânia do IFG se relaciona com a fundação da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica, que tem origem em 23 de setembro de 1909, com a criação da Escola de Aprendizes Artífices, pelo então presidente Nilo Peçanha. Por meio do Decreto nº 7.566/1909, foram criadas 19 Escolas de Aprendizes Artífices no país, uma em cada estado. Em Goiás, foi instaurada a Escola de Aprendizes Artífices na antiga capital Vila Boa, atualmente cidade de Goiás.

O estabelecimento da unidade de ensino em Goiânia só ocorreu, com a construção e transferência da de Escola de Aprendizes Artífices para a nova capital do estado de Goiás, Goiânia, que foi fundada em 24 de outubro de 1933.

Com a transferência da  Escola de Aprendizes Artífices para Goiânia em 1942, ela passa a ser nomeada como Escola Técnica de Goiânia (ETG), por meio de Decreto nº 4.127, de 25 de fevereiro de 1942. As dependências da então ETG abrigaram as festividades de lançamento cultural da nova capital durante o Batismo Cultural de Goiânia, realizado em 5 de julho de 1942. Data que marca também a inauguração do prédio da ETG em Goiânia.

Além de um passado associado ao surgimento da nova capital, a unidade é reconhecida também pelo seu patrimônio arquitetônico ao estilo Art Déco, que influenciou a arquitetura e o urbanismo das primeiras edificações da nova capital de Goiás. Parte do prédio do câmpus ( o pórtico, o pavilhão das salas de aula do bloco 100 - voltado para Rua 75, o Teatro do IFG, o pavilhão das salas de aula do bloco 200 – voltado para Rua 66) é tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) - Portaria nº 507, como um bem isolado e edifício público que compõe o acervo arquitetônico e urbanístico Art Déco da cidade de Goiânia.

No âmbito estadual, o edifício e o terreno da instituição também foram tombados, pelo Governo do Estado de Goiás (a cargo da Fundação Cultural Pedro Ludovico Teixeira), como um dos 24 bens culturais materiais de Goiânia, conforme Decreto nº 4.943, de 31 de agosto de 1998.

Em relação aos primeiros cursos ofertados pela pioneira unidade da ETG, ocorreu, em 1943, o primeiro exame de admissão para os cursos oferecidos na Escola Técnica de Goiânia, como: Alfaiataria, Artes do Couro, Mecânica de Máquinas, Marcenaria, Rádio e Comunicações, além de Tipografia e Encadernação.

Dos anos de 1940 até o início dos anos 2000, a unidade perpassou por algumas mudanças em sua personalidade jurídica, bem como na oferta de cursos. Em síntese, em 1965, a Escola Técnica de Goiânia passou a denominar-se Escola Técnica Federal de Goiás (ETFG), com a Lei nº 4.759, de 20 de agosto. O ensino na ETFG era organizado em quatro modalidades: ginásio industrial, colégio técnico industrial, aprendizagem industrial, cursos técnicos na área industrial e cursos intensivos de preparação de mão de obra industrial.

Em 22 de março de 1999, por meio de Decreto sem número, a ETFG foi transformada em Centro Federal de Educação Tecnológica de Goiás (Cefet-GO), passando a atuar, além do ensino técnico, também no ensino superior especialmente com a oferta de cursos superiores tecnológicos.

Nos anos 2000, precisamente em  29 de dezembro de 2008, com a Lei nº 11.892, foram criados 38 Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia (IFs) em todo o país. Entre esses, o Instituto Federal de Goiás (IFG), que atualmente possui 14 câmpus distribuídos em Goiânia e no interior do Estado, sendo o Câmpus Goiânia do IFG a unidade mais antiga da instituição.

O Câmpus Goiânia possui atualmente um total de 3.747 estudantes matriculados neste primeiro semestre de 2020. A unidade oferta 32 cursos ao todo, sendo cursos técnicos na modalidade de educação de jovens e adultos (EJA), técnicos integrados ao ensino médio, técnicos subsequentes, bacharelados e licenciaturas, especializações lato sensu e mestrado profissional. O câmpus reúne 563 servidores, sendo 395  servidores docentes e 168 técnicos-administrativos em educação.

 

Leia mais sobre o Câmpus Goiânia do IFG.

 

Coordenação de Comunicação Social do Câmpus Goiânia do IFG

Fim do conteúdo da página