Ir direto para menu de acessibilidade.

GTranslate - Tradução do site

ptenfrdeitesth

Opções de acessibilidade

Você está aqui: Página inicial
Início do conteúdo da página
Tecnologia da informação

Plano Diretor de TI do IFG entra em vigor, após aprovação pelo Consup

Documento traz diagnóstico da estrutura de tecnologia da informação da Instituição e aponta as necessidades até 2023

  • Criado: Quarta, 26 de Maio de 2021, 15h32
  • Última atualização em Quinta, 17 de Junho de 2021, 11h26
imagem sem descrição.

O Instituto Federal de Goiás (IFG) tem um novo Plano Diretor de Tecnologia da Informação (PDTI), dimensionado para o triênio 2021-2023. Ele foi elaborado por uma comissão composta por representantes de várias áreas organizacionais da Instituição e aprovado por unanimidade pelo Conselho Superior, em reunião realizada dia 18 de maio.

O novo PDTI traz a metodologia de sua elaboração, os resultados do plano anterior, a estrutura organizacional da TI, o referencial estratégico da área de TI, o inventário de necessidades de sistemas, softwares, equipamentos, contratos e serviços para atendimento das demandas institucionais, a capacidade de execução da TI, o plano de metas e ações, o planejamento orçamentário e a gestão de riscos do setor.

Segundo o presidente da comissão de elaboração, o servidor Cristiano Domingues da Silva, para adquirir, contratar, utilizar recursos, informações e gerir pessoal é preciso antes planejar. “O PDTI é o documento que posiciona e norteia a área de TI, alinhando as suas metas e ações aos objetivos da instituição. No PDTI 2021/2023 temos novidades, como a avaliação dos resultados do PDTI anterior, que demonstrou quais metas foram alcançadas e o que precisa melhorar. Além disso, vale destacar que foram incluídas diversas ações para melhorar a prestação de serviços públicos por meio da transformação digital, um novo conceito de Governo Digital”, afirmou.

Segundo Diretor de Tecnologia da Informação do IFG, professor Douglas Rolins de Santana, o PDTI é um instrumento de diagnóstico, planejamento e gestão dos recursos e processos de TI, e possibilita aplicar e priorizar os recursos no que é mais relevante para o IFG. “Ele é uma importante ferramenta de apoio à tomada de decisão para o IFG, habilitando-o a agir de forma proativa, contra as ameaças e a favor das oportunidades”, resume.

Elaboração

O novo PDTI do IFG foi elaborado tendo como referência principal o Guia para Elaboração de PDTI, versão 2.0 do Governo Digital, adaptado à realidade do IFG. Também foram consideradas as melhores práticas descritas nos modelos COBIT, ITIL, BSC (Balanced Scorecard) e PMBOK para o gerenciamento do projeto.

Segundo Cristiano, o processo de elaboração teve como foco a identificação e a sistematização das estratégias estabelecidas nas principais políticas e planos governamentais e organizacionais, o alinhamento entre as estratégias e ações da TI com as estratégias institucionais, a identificação das necessidades da TI, através da execução dos processos da fase de diagnóstico da situação atual, visando definir metas e ações para atender os objetivos do IFG.

Antes de ser submetido ao Conselho Superior, o PDTI foi aprovado pelo Comitê de Governança Digital (CGD), que é o responsável pela definição das prioridades na área de TI. O CGD é composto pelas Diretoria Executiva e Pró-Reitorias do IFG, pela Diretoria de Diretor de Tecnologia da Informação, pela Gerência de Desenvolvimento e Administração de Sistemas de Tecnologia da Informação, por um responsável pela área de Planejamento e Desenvolvimento Institucional e por dois membros do Colégio de Dirigentes.


Conheça o PDTI 2021-2023

Acesse a página do Plano Diretor de TI

Saiba mais sobre o Comitê de Governança Digital

 

Diretoria de Comunicação Social/ Reitoria.

Fim do conteúdo da página