Ir direto para menu de acessibilidade.

GTranslate - Tradução do site

ptenfrdeitesth

Opções de acessibilidade

Você está aqui: Página inicial
Início do conteúdo da página
COVID-19

Câmpus Luziânia produz álcool 70% para distribuir para a comunidade

Criado: Quinta, 19 de Março de 2020, 16h37 | Última atualização em Quinta, 02 de Abril de 2020, 14h26

Serão distribuídos 200 frascos em Luziânia. A ideia é que todos os câmpus passem a produzir também.

A iniciativa é do Câmpus Luziânia, onde a produção teve inicio nesta quinta-feira, 19
A iniciativa é do Câmpus Luziânia, onde a produção teve inicio nesta quinta-feira, 19

Nesse momento de apreensão em que o país e o mundo vivem, o Instituto Federal de Goiás (IFG) desenvolve ações voltadas para a prevenção da comunidade ao Covid-19. Muitas destas ações, reforçam sua função social e relevante atuação nas áreas de pesquisa, ensino e extensão. Nessa perspectiva, nesta quinta-feira, 19, servidores e alunos do Câmpus Luziânia produzem álcool 70% para doar para a comunidade mais vulnerável do município. Estão sendo produzidos, nesse primeiro momento, 200 frascos de 500ml. A distribuição será feita semanalmente, sendo que, a cada semana, um bairro com alta vulnerabilidade daquele município será beneficiado.

A ação, tão relevante nesse momento de pandemia, é de iniciativa do diretor-geral do Câmpus Luziânia, professor Reinaldo Reis, e dos professores Leonardo François e Diego Arantes, ambos doutores em Química. A produção de álcool 70% tem a parceria do Conselho Nacional das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica (Conif), da Reitoria do IFG, da Associação Comercial e Industrial de Luziânia (Acil) e da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Luziânia. O reitor do IFG, professor Jerônimo Rodrigues da Silva, afirma ter a certeza que “a Rede Federal de Educação Profissional, Científica e tecnológica, por sua capilaridade, vai dar uma importante contribuição ao país no combate ao coronavírus”.

Outras parcerias, que visam ampliar a ação nesse momento em que vivemos uma questão emergencial de saúde, estão sendo tratadas pelo reitor do IFG, que apresentará projetos nesse sentido para a Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica (Setec) do Ministério da Educação. O reitor representa o Conif no Comitê Operativo de Emergência (COE) do Ministério da Educação (MEC).

Com isso, a produção de álcool 70% poderia ser realizada também nos demais câmpus do IFG, que hoje possui 14 unidades no Estado, o que beneficiaria milhares de famílias em situação de vulnerabilidade social e econômica. De acordo com o diretor-geral do Câmpus Luziânia, professor Reinaldo Reis, com essa produção ampliada e que tem um custo relativamente baixo, mais de 5 mil famílias no Estado de Goiás poderão ser beneficiadas com esta ação institucional.

“Contamos com estrutura física e recursos humanos capazes de desenvolver ações com alta tecnologia e baixo custo. E a nossa missão social é sobretudo o atendimento a nossa comunidade local. Então, nesse momento que envolve o coronavírus, em que pensamos muito na saúde e na coletividade, a educação e a ciência agem como pilares que podem contribuir na prevenção da comunidade que tem maior índice de vulnerabilidade social e que tem menos acesso a condições de compra de álcool 70%”, destaca o diretor-geral do Câmpus Luziânia, Reinaldo Reis.

Para o chefe e Departamento de Áreas Acadêmicas do Câmpus Luziânia, professor Leonardo François, a produção do álcool 70% tem como objetivo “disponibilizar uma forma de assepsia às famílias” que, às vezes, não tem condições de ter sabão e água regularmente em casa. Cabe ressaltar que água e o sabão, com lavagem correta das mãos, são tão eficientes quanto o álcool. Todo o quantitativo está sendo produzido no Laboratório de Química daquela unidade.


Coordenação de Comunicação Social/Câmpus Luziânia/com apoio da Diretoria de Comunicação Social.

Fim do conteúdo da página