Ir direto para menu de acessibilidade.

GTranslate - Tradução do site

ptenfrdeitesth

Opções de acessibilidade

Você está aqui: Página inicial
Início do conteúdo da página
Covid-19

Câmpus inicia a produção de álcool para prevenção ao novo coronavírus

Ação é financiada pelo Ministério Público do Trabalho da 18º região. Projeto prevê produção de 5 mil unidades 

  • Criado: Segunda, 11 de Maio de 2020, 15h06
  • Última atualização em Quarta, 03 de Junho de 2020, 15h05
Responsável técnico Deangelis Damasceno (à esquerda) explica os motivos da escolha da fórmula glicerinada a 80% e suas vantagens ao procurador-chefe do MPT, Tiago Ranieri (no centro), e à Diretora-Geral do Câmpus, Maria Betânia Gondim (à direita)
Responsável técnico Deangelis Damasceno (à esquerda) explica os motivos da escolha da fórmula glicerinada a 80% e suas vantagens ao procurador-chefe do MPT, Tiago Ranieri (no centro), e à Diretora-Geral do Câmpus, Maria Betânia Gondim (à direita)

O álcool é um meio eficaz de prevenção ao novo coronavírus. No entanto, a repentina e gigantesca demanda tem requerido um incremento na produção. Foi pensando nisso que o Câmpus Senador Canedo do Instituto Federal de Goiás (IFG) se dispôs a produzir, por possuir laboratório e corpo técnico. Mas faltava uma coisa: a aquisição dos insumos. A Direção-Geral do Câmpus buscou parceiros e encontrou o Ministério Público do Trabalho (MPT) da 18º região, que, sem hesitar, comprou a ideia, com a destinação de recursos provenientes de acordos, multas e condenações.

A parceria objetiva a produção de 5 mil frascos de álcool etílico glicerinado a 80% a serem distribuídos igualmente entre o Câmpus e o MPT. O técnico em laboratório de Ciência do Câmpus e farmacêutico Bruno Franco Fernandes explica que o álcool etílico glicerinado a 80% é uma das formulações alternativas ao álcool a 70% admitidas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e recomendadas pela Organização Mundial de Saúde (OMS).

Segundo ele, os proponentes do projeto optaram por essa fórmula por diversos motivos. Primeiro porque a Anvisa, admite-a; segundo, a baixa disponibilidade, no mercado, de insumos para a produção do álcool em gel a 70%. Além disso, “essa formulação possui baixo custo, maior facilidade de obtenção de insumos, permite maior celeridade na produção e garante a hidratação da pele, uma vez que a glicerina age como umectante”, afirmou Bruno Franco.

O Procurador-Chefe do MPT, da 18º região, Tiago Ranieri, pontuou que a demanda pelo álcool elevou os preços, o que, por sua vez, dificultou a aquisição do insumo para diversos municípios e unidades de saúde de Goiás. “Essa produção vai ao encontro dessa necessidade urgente que o nosso país, nosso estado passa”, disse. Para ele, a parceria com o Câmpus surgiu em uma hora “muito boa e, por isso, foi aceita de pronto, porque há uma necessidade muito grande da sociedade e é uma possibilidade imensa do MPT contribuir a partir desses recursos”, avaliou.

A Diretora-Geral do Câmpus Senador Canedo e professora, Maria Betânia Gondim da Costa, ressalta que, além dos insumos, o MPT doou equipamentos para o laboratório de Ciências, para que a produção do álcool atendesse aos parâmetros exigidos pelos órgãos reguladores. “Ter o MPT como parceiro foi fundamental para a concretização do projeto, sem ele seria impossível colocá-lo em prática o projeto”, afirmou. Ela contou que os equipamentos serão utilizados em outras ações e também no processo de ensino-aprendizagem.

Mais do que ajudar na prevenção ao novo coronavírus, a ação, do ponto de vista interno, trouxe e traz, aprendizado e união. “Para o Câmpus é muito importante desenvolver ações como essa, pois além de propiciar um crescimento, um grande aprendizado para todos os envolvidos, ela propicia também a integração da equipe em prol de um objetivo único, isso nos fortalece, nos motiva como comunidade”, ressaltou Maria Betânia.

 

Onde serão distribuídos

Colaboradores do projeto afixam o rótulo às embalagens das unidades de álcool já produzidas

 

Os 5 mil frascos que serão produzidos serão distribuídos, igualmente, entre o MPT e o Câmpus Senador Canedo. As 2,5 mil unidades do MPT, conforme informou o Procurador-Chefe, Tiago Ranieri, serão entregues a atores e instituições que acolhem pessoas em situação de vulnerabilidade social, tais como as populações em situação de rua, a transexual e travesti; refugiados e imigrantes; idosos e crianças e adolescentes.

O Câmpus Senador Canedo ficará com 1 mil frascos, que serão utilizados na limpeza e manutenção do seu espaço físico e, também, disponibilizados aos estudantes e colaboradores terceirizados. Do restante, 1 mil unidades serão doadas à Prefeitura de Senador Canedo, a serem divididas entre as secretarias de Saúde e de Infraestrutura e Serviços Urbanos; e outras 500 unidades serão entregues à Cooperativa de Trabalho dos Catadores de Material Reciclável de Senador Canedo (Recicla Canedo).

 

Equipe de colaboradores e apoio

Além do técnico em laboratório de Ciências, Bruno Franco, a ação tem a participação do professor de Química, Deangelis Damasceno, que é o responsável técnico do projeto; e dos professores Frederico Mercadante, de Física; Rúbia Cristina Diogenes Pinheiro, de Biologia; Mariana do Prado e Silva, de Engenharia de Produção; Ricardo Fouad Rabahi, de Mecânica; Vinicius Lucas da Silva, de Mecânica; Glaciano Maia Fernandes, tecnólogo em Eletromecânica; e Thommas Magno, técnico em Áudio Visual. O projeto tem o apoio do Conselho Regional de Química XII Região.

 

Coordenação de Comunicação Social/Câmpus Senador Canedo.



Fim do conteúdo da página