Ir direto para menu de acessibilidade.

GTranslate - Tradução do site

ptenfrdeitesth

Opções de acessibilidade

Você está aqui: Página inicial > Últimas Notícias > IFG inicia projeto de capacitação de servidores e gestores do SUAS para promoção da igualdade racial
Início do conteúdo da página
Extensão

IFG inicia projeto de capacitação de servidores e gestores do SUAS para promoção da igualdade racial

Objetivo é aprimorar o atendimento da população negra no Sistema Único de Assistência Social

  • Criado: Segunda, 10 de Dezembro de 2018, 19h50
  • Última atualização em Segunda, 07 de Janeiro de 2019, 19h26
Solenidade que marcou início do projeto foi prestigiada por servidores e comunidade externa
Solenidade que marcou início do projeto foi prestigiada por servidores e comunidade externa

Cerca de 53% da população brasileira é de negros e o número de pobres negros é 2,7 vezes maior que o de pobres brancos. Esses dados do IBGE indicam que a população negra é a que mais precisa de políticas públicas de assistência social e, apesar de não haver dados oficiais, o racismo estrutural e institucional ainda prejudica a constituição de políticas públicas e o próprio atendimento à população negra. Para melhorar esse atendimento no Sistema Único de Assistência Social (SUAS) gestores e servidores do sistema vão se qualificar e o Instituto Federal de Goiás (IFG) é a Instituição encarregada de promover essa capacitação. 

Teve início na tarde desta segunda-feira, 10, o Projeto de Qualificação do Sistema Único de Assistência Social pela Transversalização com a Política de Igualdade Racial, resumidamente denominado de Igualdade Racial no SUAS. O objetivo é capacitar 500 servidores e gestores do sistema até outubro de 2019, para melhorar o atendimento às famílias negras e aos quilombolas.

O IFG, em parceria com o Ministério dos Direitos Humanos (MDH), por meio da Secretaria Nacional de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (SEPPIR), vai elaborar os guias orientadores para os servidores e gestores do SUAS. Serão dois guias: um para orientar o atendimento às famílias negras nas unidades do SUAS e outro para orientar o atendimento às comunidades quilombolas, urbanas ou rurais. Os guias deverão ser lançados em maio. Posteriormente, de junho a outubro, serão realizadas oficinas técnicas em todos os Estados brasileiros para a capacitação dos servidores e gestores do SUAS.

Uma solenidade realizada na tarde desta segunda-feira, 10, no Câmpus Goiânia do IFG, marcou o início do projeto. A mesa de abertura foi composta pelo pró-reitor de Extensão, Daniel Silva Barbosa, que representou o reitor Jerônimo Rodrigues da Silva, pela professora Janira Sodré Miranda, coordenadora do projeto, pela coordenadora de Implantação de Políticas de Ações Afirmativas, Ana Luisa Coelho Moreira, que representou o secretário Nacional de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, Juvenal Araújo, e pelas representantes dos movimentos sociais negros Maria Lúcia das Dores Ferreira e Nazaré Santos.

Todos reforçaram a necessidade de políticas públicas para a promoção da igualdade racial e destacaram a importância do projeto que está se iniciando e que vai repercutir na base do atendimento à população negra e às comunidades quilombolas. Também foi unânime a reafirmação da necessidade de a sociedade brasileira tratar da desigualdade racial e combater o racismo estrutural e institucional.
A solenidade foi aberta com a apresentação da cantora Tayná Janaína, aluna do Câmpus Goiânia, com o tema Raízes de uma negra. Em seguida, a aluna Maria Ritha Ferreira da Paixão, declamou o poema Lua Nova Demais, da poetisa e atriz Elisa Lucinda.

O Projeto Igualdade racial no SUAS foi apresentado pelas servidoras do IFG Daniele Pavan e Michele Bagestão. Daniele tratou da metodologia, dos objetivos e do cronograma. Já Michele apresentou a identidade visual e a marca criada exclusivamente para a projeto. Antes delas, o também servidor Vinícius Ferreira, apresentou o projeto Comunidades Tradicionais em Rede, executado pelo IFG numa parceria com o Ministério da Cultura, para resgatar a memória de comunidades negras tradicionais. Foram produzidos numa série de vídeos e um catálogo etnográfico.

A solenidade foi prestigiada por membros do movimento negro, servidores do IFG e da SEPPIR. Da direção do IFG, participaram o pró-reitor de Pesquisa e Pós-Graduação, professor Paulo Francinete, o pró-reitor de Desenvolvimento Institucional, Amaury França Araújo, e a diretora-geral do Câmpus Goiânia, professora Maria de Lourdes Magalhães.

 

Diretoria de Comunicação Social/ Reitoria.

Fim do conteúdo da página