Ir direto para menu de acessibilidade.

GTranslate - Tradução do site

ptenfrdeites

Opções de acessibilidade

Você está aqui: Página inicial > Últimas Notícias > IFG vai desenvolver projeto para implantar usina fotovoltaica
Início do conteúdo da página
Energia Solar

IFG vai desenvolver projeto para implantar usina fotovoltaica

Instituto inicia ações na área de energia solar e pretende implantar melhorias e economia de energia em 10 câmpus

  • Criado: Quarta, 03 de Maio de 2017, 12h19
  • Última atualização em Sexta, 09 de Junho de 2017, 14h45
Reitor e gestores na solenidade de assinatura de convênio
Reitor e gestores na solenidade de assinatura de convênio

Cooperação Técnica e Científica que vai implementar ações do projeto de pesquisa Avaliação Técnica, Econômica e Estratégica para Implementação de Sistema Fotovoltaico Conectado à Rede do Palácio Pedro Ludovico Teixeira foi assinada na manhã de hoje, 3, no auditório Mauro Borges do Palácio, em Goiânia. O Instituto Federal de Goiás (IFG), a Secretaria de Meio Ambiente, Recursos Hídricos, Infraestrutura, Cidades e Assuntos Metropolitanos do Estado de Goiás (Secima) e a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Goiás (Fapeg) assinaram acordo na solenidade. Pelo Instituto, a assinatura foi feita pelo reitor, professor Jerônimo Rodrigues da Silva.

Essa ação de hoje, afirma o reitor do IFG, “é uma atividade que mostra a presença do Instituto na perspectiva de atender às demandas regionais, do Estado de Goiás, em diferentes ações. É uma ação que demonstra o potencial de atendimento a essa e outras demandas na área de eficiência energética, energia solar e desenvolvimento sustentável. Isso tudo ocorre por causa das pesquisas existentes em nossos 14 câmpus”, finaliza.

As três instituições envolvidas participarão da implementação do projeto, que deve começar ainda esse ano e ser encerrado em 2019. Os investimentos, por parte da Secima e da Fapeg, são da ordem de R$ 2 milhões para execução de todo projeto. Entre as principais atribuições, o IFG dará apoio técnico, administrativo, financeiro e operacional, selecionando bolsistas para participação nas ações previstas no Plano de Trabalho, desenvolvendo projeto de pesquisa, elaborando estudos técnicos, relatórios e análises para instalação da usina fotovoltaica, dentre outros.

Hoje, o IFG já atua em duas frentes na questão da eficiência energética e da energia solar fotovoltaica, ou seja, na utilização interna em suas unidades de energia solar. O projeto mais adiantado é de instalação de uma usina fotovoltaica no Câmpus Goiânia, que já está em fase de contratação junto à Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL). Outro projeto na área é a implantações de ações de eficiência energética que visam à economia de energia – como a utilização de lâmpadas de LED – e também a implantação de usina fotovoltaica em 10 câmpus da Instituição, que passarão a funcionar com a energia solar.

O projeto

Pelo projeto, será instalada uma usina fotovoltaica, cuja base é energia proveniente do sol. Ela atua a partir da conversão da luz do sol em eletricidade a partir do efeito fotovoltaico. Apresenta vantagens em relação às demais formas de produção de energia elétrica. Além de ela ser uma fonte de energia renovável – a irradiação do sol -, é considerada uma forma de limpa de energia, o que significa uma menor emissão de gases-estufa na atmosfera por outras fontes de energia, sua fonte é gratuita (sol); para a produção de energia solar, também não são necessárias grandes áreas e nem qualquer tipo de desmatamento, ela possui baixa necessidade de manutenção. A usina fotovoltaica será instalada no terraço do Palácio Pedro Ludovico Teixeira (Praça Cívica), em Goiânia.

A equipe que fez o projeto e vai implementá-lo é formada por professores do IFG, sob a coordenação dos professores José Luis Domingos e Aylton José Alves, presentes ao evento, professores da Universidade de Brasília (UnB) e uma pesquisadora da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP). Serão selecionados ainda, para compor o grupo de trabalho, quatro bolsistas de iniciação científica – estudantes do IFG – e sete estagiários, por meio de seleção via edital.

Evento

O secretário da Secima, Vilmar Rocha, afirma que é a 1ª vez que o governo faz um evento no dia internacional do Sol, comemorado hoje, e que a energia solar é uma pauta importante. Ele fez também a nomeação dos membros do Comitê Estadual de Energia Solar Fotovoltaica, lançamento de campanha publicitária do programa Goiás Solar e reunião com empresários do setor solar fotovoltaico. Ele assinou o convênio com o IFG em nome do Estado, juntamente ao reitor do IFG e à presidente da Fapeg, Zaira Turchi.

O professor Aylton fez a apresentação do projeto destacando as vantagens da energia solar para a população, a vantagem para Goiás, já que é um Estado em que há presença do sol o ano todo: “uma das formas de energia de menor impacto ambiental, abundante e perene, é uma energia limpa”, destaca.

A presidente da Fapeg destacou a importância do convênio. “A Fapeg cumpre aqui o seu papel precípuo, que é de fomento à pesquisa e desenvolvimento tecnológico. Estamos juntos também ao IFG, que já tem uma longa história no Estado na ciência e tecnologia, com equipe de excelência, professores doutores trabalhando nesse projeto”, diz.

Estiveram presentes no evento, do IFG, o pró-reitor de Administração, Ubaldo Eleutério da Silva, o de Pesquisa e Pós-graduação, Ruberley Rodrigues de Souza, além de autoridades e profissionais na área de energia solar.

 

Diretoria de Comunicação Social/Reitoria.

 

 

Fim do conteúdo da página