Ir direto para menu de acessibilidade.

GTranslate - Tradução do site

ptenfrdeites

Opções de acessibilidade

Você está aqui: Página inicial > Últimas Notícias > Câmpus Uruaçu inaugura segunda usina fotovoltaica do IFG
Início do conteúdo da página
ENERGIA

Câmpus Uruaçu inaugura segunda usina fotovoltaica do IFG

Reitor da instituição afirmou que mais investimentos em eficiência energética virão em 2018

  • Criado: Quinta, 30 de Novembro de 2017, 19h04
  • Última atualização em Terça, 12 de Dezembro de 2017, 12h12
O reitor do IFG, professor Jerônimo, com professor Ubaldo (diretor-geral do Câmpus Goiânia Oeste), a diretora do Câmpus Uruaçu, professora Andreia, e a engenheira Aline de Melo, que desenvolveu o projeto da usina

 A partir de hoje, 30, o Câmpus Uruaçu conta com a capacidade de produzir, de forma independente, cerca de 9.700 kWh (quilo-Watt-hora) de energia, graças à inauguração da usina fotovoltaica instalada no câmpus. Os 260 módulos fotovoltaicos implantados têm capacidade de gerar 70,2 kWp (quilo-Watt-pico) e deverão proporcionar uma economia de, aproximadamente, 30% na conta de energia.

O reitor do IFG, professor Jerônimo Rodrigues da Silva, prestigiou a inauguração e saudou a parceria entre o Mec e a Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica (Setec), que possibilitou a implantação do sistema na Rede Federal.

O edital foi lançado pelo IFSul de Minas e recebeu adesão de outros Institutos Federais, incluindo o Goiás. “Foram investidos cerca de 900 mil reais para a implantação das usinas”, declara Jerônimo, referindo-se à usina de Uruaçu e à do Câmpus Itumbiara, inaugurada no início de novembro.

De acordo com o reitor, os dois câmpus receberam o investimento pela maior necessidade de eficiência energética, observada a relação entre porte físico e consumo energético de cada câmpus.

A engenheira da Mtec, empresa que desenvolveu o projeto, Aline Christina de Melo, lembra que a energia fotovoltaica “é gerada de forma muito independente, você pode deixar as placas ali e quase não há manutenção”. A vida útil dos módulos fotovoltaicos é de, no mínimo, 25 anos, aponta a engenheira, e lembra que a energia produzida em excesso ao consumo é revertida para o câmpus, na forma de créditos com a concessionária de energia do estado (Celg).

A Diretora-Geral do Câmpus Uruaçu, professora Andreia Alves do Prado, ressalta a proximidade do Câmpus Uruaçu com a cultura da sustentabilidade. “Nós estamos estudando a aplicação de várias tecnologias sustentáveis pesquisadas pelos nossos alunos, como a evapotranspiração, o aproveitamento de água da chuva e a compostagem do lixo orgânico”, revela Andreia.

Eficiência energética

O Instituto Federal de Goiás receberá quase 12 milhões de reais em edital da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Os recursos devem custear a implantação de mais dez usinas fotovoltaicas nos câmpus do IFG, incluindo a ampliação dos módulos já instalados nos câmpus Uruaçu e Itumbiara.

Também será feita a substituição nos câmpus de lâmpadas comuns pelas do tipo LED, que consomem bem menos energia, além de outras ações visando a eficiência energética. De acordo com Jerônimo Rodrigues, no ano de 2018, estima-se que o IFG economize até 80%.

Em contrapartida ao investimento da Aneel, o IFG deverá aplicar dois milhões de reais em ações de capacitação, pesquisa e desenvolvimento no setor de eficiência energética.

 

Coordenação de Comunicação Social/Câmpus Uruaçu.

Fim do conteúdo da página